Síndrome de Herói

Crédito da imagem: Http://sxc.hu
Crédito da imagem: Http://sxc.hu

          Se ele não tinha problemas? Não tinha pouco. Mas ninguém sabia de seus tormentos. Bem, talvez alguns poucos, de alguns poucos. Seleto grupo para quem ele abria uma fresta de seu coração. Sua alma nunca. Quase nunca, talvez pequenas doses sutis, bem disfarçadas.

            Se os amigos tinham problemas? Muitos. Ele sabia de todos, pensava junto, segurava a barra, oferecia o último pedaço de pão, o melhor canto da casa, as melhores palavras, mesmo que ele mesmo estivesse com o repertório em frangalhos.

           Se a família precisava dele? O tempo todo, pois sabiam que ele estaria lá, a qualquer custo.

           Sua dor nas costas não era empecilho para que segurasse um cão por 30 minutos até a chegada dos bombeiros. Ou para carregar a filha, adormecida no sofá, até o quarto.

           Seus sonhos? Sempre envolviam alguém. A felicidade de alguém, o bem estar de alguém.

           Suas dúvidas, sua confusão em relação ao mundo não o impediam de buscar soluções para os problemas dos outros. Seu cansaço não o impedia de preparar uma surpresa para um aniversariante querido.

           Se alguém se preocupava com ele, ficava incomodado. Não queria ser um peso pra ninguém. Sem perceber se disponibilizava a ser útil, mas não se deixava ser querido. Sofria com isso sem saber que era isso. Seus problemas, um dia percebeu, eram os problemas dos outros. Era lidar com a impossibilidade de salvar e proteger a todos.

           Sofria da síndrome do herói. Já passada da fase aguda para a crônica. E para esse mal a medicina ainda não tinha remédio.

Pequena homenagem à alguém que vai se identificar 😉

Anúncios

9 comentários sobre “Síndrome de Herói

  1. Marcia demorei para fazer um comentário pois estava difícil. Somente lendo seu texto constatei que também sofri disso. Disse sofri porque desde que iniciei a terapia, tenho trabalho e muito para não ser assim.Não quero mais ser herói. Não me envergonho mais de expor minhas fraquezas, meus medos. Obrigada por esse texto que faz a gente refletir, repensar, repaginar nosso ser. Tenho certeza que mais leitores se identificarão também. Bjs

    1. Sofro um bastante disso também, Roseli, mas tem gente que precisa de uma sacudida vez por outra, pois é uma síndrome que faz sofrer demais, né?! 😉
      Vou lá me atualizar das suas postagens, que nos últimos dias não consegui e deixarei um link sobre isso que achei bem legal 😉
      bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s