Noturnicos

“As postagens dessas crônicas / artigos de opinião de última hora refletem impressões inerentes às circunstâncias e momentos vivenciados e observados quando de sua escrita. Elas não têm compromisso com a posteridade, não pretendem ser definitivas, afinal o mundo gira, as opiniões mudam, tudo se transforma, principalmente para quem pensa. Postagens contraditórias podem ocorrer.”

Son-Cama-Luz
Crédito da imagem: http://www.sxc.hu

        Começo confessando: Eu reprovei na 6ª série (atual 7º ano). O que tem a ver essa confissão com o texto? Tudo. Foi o único ano em que reprovei e também o único em que estudei no período da manhã.

             Como muitas pessoas, eu simplesmente detesto acordar cedo. Como poucas, eu simplesmente não con-si-go. Levantar, levanto, agora despertar já são outros quinhentos.

            Me esforço, preparo meu café, faço o desjejum, higiene pessoal, fumo vários cigarros, mais café assim que chego no trabalho (nos dias em que trabalho fora de casa), mais café e mais cigarro em intervalos regulares, entre uma análise financeira e outra (e, nossa! Os números são saltitantes pela manhã), bocejos intermitentes, engato a 4ª marcha (tá, muitas vezes preciso engatar a 5ª) e rááááááááá, meu cérebro parece um fusquinha tentando subir a ladeira na 3ª marcha. É brutal.

            E o humor como fica? Sou insuportável pela manhã. Mais tarde, quando as engrenagens já estão todas funcionando, eu já nem consigo lembrar porque estava tão irritada, mas na hora… in-su-por-tá-vel.

            Nada funciona, nem o cérebro, nem o corpo (imagem figurativa, afinal são uma coisa só, mas sei que você entendeu). Derrubo tudo, perco o equilíbrio, esbarro nas paredes (noção espacial desligada), funções básicas travam. Um horror!

             A noite é outra coisa. Se vejo algo por fazer e resolvo começar, nada me segura, parece que me ligaram na tomada. O cérebro faz conexões E CONSIGO RETÊ-LAS! É lindo. Mas nem sempre posso aproveitar a energia pois, se não for dormir, a manhã seguinte será ainda pior.

Sono-Cão e Gato
Crédito da imagem: http://www.sxc.hu

             Mas o mundo gira com a maioria. Bem…. não exatamente maioria. Alguns tem essa disposição de acordar cedo e dormir cedo natural. Mas acho que a maioria, maioria mesmo, se adapta a esse modelo de comportamento. E se adaptam sem muito sofrimento. Mas os “noturnicos”, como chamo, não. Esses o mundo rotula de preguiçosos, afinal, se a maioria consegue…

             Já ouvi dizer que na Suécia criaram horários de trabalho e estudo alternativos, para notívagos. Acho lindo! Mas não consigo imaginar isso por aqui, um país onde até de dia é um risco se deslocar em determinadas cidades. Sem falar que essa não é uma questão simples. “Noturnicos” acabariam por ter que conviver com os “de sua espécie”, já que raramente encontrariam com os “normais”. Percebeu o drama? A semântica apontando outras camadas do problema.

Sono-Passarinho
Crédito da imagem: http://www.sxc.hu

             E tem mais. Muitos “noturnicos” vão se condicionando como podem. Alguns dão sorte e seguem trabalhando em profissões que tem horário noturno, mas não sei a que preço na vida familiar. Uns tomam remédios para dormir, outros buscam clínicas do sono para tentar “descobrir seu problema”. E outros simplesmente cultivam maravilhosas olheiras, que vão ganhando pelas poucas horas dormidas, já que muitos desses, sem opção, dormem menos de cinco horas por noite para girar com as engrenagens, quando precisariam de 8 a 10 horas de sono como qualquer um. Taí, “noturnicos” também poderiam ser chamados de pandas.

Sono-Acordado-Passarinho
Crédito da imagem: http://www.sxc.hu

            Quem manda nascer ao avesso? As coisas precisam de um padrão para que funcionem. Seria um caos ainda maior se cada um fizesse as coisas a seu modo, não? Bem, imagino que sim. “Vou na padaria comprar um pão fresquinho” “Ué? Cadê o pão?” “A padaria ainda não abriu” “Ah, tá. Que horas será que vai abrir hoje?”.

             Fico imaginando quantas mentes brilhantes ficam limitadas as normas estabelecidas. Quantos teriam muito mais a oferecer se pudessem dormir e acordar de acordo com sua necessidade física? Difícil saber, quando os horários de maior capacidade de produção são também os de exigido silêncio e de lojas, escolas e empresas fechadas.

             Visto a dificuldade de vislumbrar alguma solução realmente eficiente para o problema, só tenho a dizer: “Noturnicos”! Bem vindos ao inferno! E… procure sua tribo. Mas isso já é papo para outra postagem 😉

Até!

Anúncios

6 comentários sobre “Noturnicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s